Twitter Facebook Feed

Quero e Não quero


Quero não pensar no amanhã, mas é inevitável
Não quero amar perdidamente, mas quero me perder constantemente
Não quero regra, eu quero é  regar  o campo da imaginação
Não quero sentir, quero descobrir e me permitir
Não quero sociedade, quero gente que quer ser gente    
Quero escrever sem pensar, viajar sem sair do lugar  
Conhecer sem pagar pra ver, quero o diferente
Quero o oposto sem ser o imposto
O frio e o calor no encosto
Quero suspense no ar, o navegar e o deslumbrar
Eu quero o nada do tudo
E sempre ter a chance de recomeçar

2 Comentários:

Michele Lima disse...

Gostei muito! Tomei a liberdade e postei no meu blog. Parabéns !

Matheus Carneiro disse...

Muito bom, parabéns!

Postar um comentário